A fantástica fábrica de chocolate

coded by Cristine Tellier | tags: | Posted On domingo, 25 de setembro de 2005 at 18:41

meteorologia: garoa no decorrer do período
pecado da gula: 1 fatia de bolo mousse de chocolate
cafeína: 1 café com creme
som: Bootleg do Jota Quest
video: "Charlie and the Chocolate Factory"

Hold your breath, make a wish, count to three...
Impossível não comparar as duas versões desse filme.
Visualmente, a versão original perde de longe para a versão de Tim Burton, principalmente devido à inexistência de recursos em 1971 para reproduzir devidamente a fábrica de Willy Wonka como descrita no livro de Roald Dahl. Com toda a parafernália digital a seu dispor, Burton incluiu sequências de cair o queixo, desde a abertura do filme (mostrando a linha de montagem da fábrica) até o jardim comestível e os esquilos abridores de nozes. E sem esquecer os Oompa Loompas, todos personalizados pelo mesmo ator (Deep Roy).
Apesar da atuação impecável de Johnny Depp (genial como sempre), o Willy Wonka de Gene Wilder era muito mais agradável, menos egocêntrico e parecia "curtir" bem mais os produtos de sua fábrica. E ainda falando de atuações, o Charlie Bucket de Freddi Highmore dá de 10 a 0 no de Peter Ostrum da versão original, a atuação do garoto era bem ruinzinha.
Para os que, como eu, cresceram assistindo inúmeras vezes na Sessão da Tarde a versão de 1971, a fantástica fábrica de chocolate de que sempre irei lembrar será a primeira. A refilmagem tem seus méritos - entre eles, retratar melhor a exuberância visual da fábrica de Wonka - mas isso não basta para elevar o filme à categoria de clássico infantil, a ser lembrado e relembrado por toda uma geração de pimpolhos.
Dica para os fãs incondicionais do original (Willy Wonka and the Chocolate Factory): vale dar uma espiada na refilmagem de Tim Burton (Charlie and the Chocolate Factory), mesmo que seja para continuar afirmando que o original é muuuuuito melhor.

.

.