Vertigo

coded by Cristine Tellier | tags: | Posted On terça-feira, 4 de outubro de 2005 at 18:56

meteorologia: finalmente um pouco de calor
cafeína: 7 cafezinhos, 2 chás-mate
pecado da gula: abacate batido com limão e açúcar
teor alcóolico: 3 garrafas de Original, 1 Smirnoff Ice Black, 1 dose de Red Label
som: The Corrs (live)

"Um corpo que cai" (diretor: Alfred Hitchcock) - "Vertigo"
Obra-prima, não tem outro adjetivo que defina melhor. Sempre que assisto me admiro cada vez mais com a maestria e o domínio da técnica de cinema de Hitchcock. Apesar do meu filme predileto ainda ser "Janela indiscreta" ("Rear Window"), "Um corpo que cai" tem lugar cativo na prateleira de dvds, pra ser (re)visto sempre que tiver vontade de admirar a obra de um mestre.
Desde a elaboração do roteiro, que apesar de inverossímel não tem um "furo" sequer de continuidade, até a concepção visual do filme, passando pela atuação magistral de James Stewart (John Gerguson, vulgo Scottie) e Kim Novak (Madeleine Elster/Judy Barton), tudo é motivo de admiração.
O filme, adaptação de um romance francês "D'entre les morts" (de Pierre Boileau e Thomas Narcejac), entre outros detalhes, mostra a obscessão de Hitch por loiras, belas mulheres loiras, personificada esplendidamente pelo alter-ego do diretor (Stewart) na obscessão de seu personagem por Madeleine.
Kim Novak está simplesmente perfeita como a loira gelada envolta em mistério e beirando a loucura. Mesmo sendo a segunda escolha para o papel (Vera Miles, Lila Crane em "Psicose", havia sido escalada, mas engravidou antes do início das filmagens), é simplesmente impossível imaginar outra atriz como Madeleine.
Exceto pela trilha de "Intriga Internacional" (North by Northwest), que eu acho excepcional, genial mesmo, hors-concours, a de Vertigo é a melhor feita por Bernard Hermann para um filme de Hitchcock.
Poderia escrever por linhas e linhas sobre todos os detalhes que eu adoro no filme, mas isso fica pra outra hora. Enquanto isso, vale uma olhada: http://www.widescreencinema.com/vertigo.

.

.